ALIMENTAÇÃO VIVA

REJUVELAC: O ELIXIR DA JUVENTUDE

Ele não pode faltar na sua lista de bebidas fermentadas. 


Helen Almeida | Apr 09, 2019

Você já leu por aqui como produzir em casa o kefir e o kombucha, bebidas fermentadas a partir de colônias de leveduras e micro-organismos vivos capazes de favorecer a digestão e reforçar o sistema imunológico. Agora é a vez de falarmos do rejuvelac – outra opção do mundo dos fermentados rica em enzimas e bactérias com potencial probiótico, mas com a vantagem de ser mais fácil e prática de ser produzida. A fermentação ocorre sem a necessidade de uma colônia de “bichinhos” (geralmente doada por um amigo produtor, no caso do kefir e do kombucha) e dispensa o uso de açúcar. Basta um punhado de trigo ou outro grão de cereais (arroz integral, milho de pipoca, painço, lentilha, centeio, cevada, aveia, quinoa ou amaranto), germinar (a gente explica como) e mergulhar em água filtrada para você produzir esse tônico da juventude, como o nome sugere.

Presentes em grandes quantidades nos grãos geminados, as enzimas e as bactérias com potencial probiótico passam para a água e iniciam o processo de fermentação. O resultado é um caldo turvo e esbranquiçado rico em enzimas e bactérias com potencial probiótico. Após 24 horas, o rejuvelac está pronto para ser consumido e favorecer a digestão e melhorar o funcionamento do intestino. A bebida ainda oferece uma série de vitaminas, entre elas a E (previne o envelhecimento precoce das células) e a B12 (importante para o sistema nervoso).

Mas todos esses benefícios ainda precisam ser comprovados cientificamente, por isso é aconselhável não exagerar na dose. “Comece com uma pequena quantidade diária (cerca de 100 mililitros) e aumente o consumo de acordo com a resposta do seu corpo”, recomenda a culinarista e fermentadora Regina Fonseca, de São Paulo. Regina produz o rejuvelac na sua cozinha-laboratório desde 2013 e acaba de ingressar na equipe do Laboratório de Fermentados Funcionais da Faculdade de Ciências Farmacêuticas da USP para aprofundar os estudos sobre o assunto.  “Avaliar a ação do rejuvelac em distúrbios mentais ou mesmo na alteração de humor está entre os objetivos do estudo. Isso porque a ciência tem encontrado cada vez mais evidências na conexão cérebro-intestino”, complementa.

Foto: Emily Honeycutt

 

PURO OU NO SUCO 

O gosto não é dos melhores. Mas, pensando no rejuvelac como um “medicamento” até que é agradável, e nem sempre precisa ser consumido puro. Você pode acrescentar a dose diária num suco ou vitamina, além de usá-lo na preparação de alimentos fermentados, como pão, chucrute e até Yakult Fake (receita no canal Vegetarirango). 

 

VOCÊ VAI PRECISAR DE:

- Um pote e uma garrafa de vidro muito bem higienizados, uma colher de pau (utensílios de metal não são compatíveis com os fermentados em geral, um pedaço de tecido fininho (tipo voal) limpo, elástico, coador e funil.

- Grão orgânico (sim, ele deve ser livre de defensivos e fertilizantes agrícolas) e fácil de germinar. O trigo é o mais comum no preparo do rejuvelac, mas o arroz integral, milho de pipoca e a quinoa (pseudo grão) também são encontrados com facilidade na versão orgânica e usados com sucesso. Outras boas opções: painço, centeio, cevada, aveia e amaranto. 

- Água mineral ou filtrada.

COMO FAZER: 

Primeira etapa (germinação)

  1. Lave um punhado de grãos e coloque no vidro higienizado. Acrescente a água mineral ou filtrada até a metade do recipiente, cubra a boca com o tecido e prenda com o elástico. 
  2. No dia seguinte (após 12 horas) escorra a água sem tirar o tecido, enxague os grãos, escorra novamente e apoie o vidro numa tigela ou escorredor de louça com a boca para baixo. Repita esse processo de manhã e à noite.
  3. No terceiro dia, quando o narizinho (gérmen) do grão aparecer, ele está pronto para a fase da fermentação.  

Segunda etapa (fermentação)

  1. Separe 1 xícara (chá) do grão germinado e coloque no vidro (o mesmo em que você germinou os grãos, mas higienizado novamente). Acrescente 1 litro de água mineral ou filtrada, cubra a boca com o tecido e prenda com o elástico. Deixe em local fresco (o temperatura ideal entre 20 e 22 graus) e protegido do excesso de luz. 
  2. Após 24 horas (ou 48 se preferir uma bebida mais fermentada), coe o líquido (esse é o rejuvelac) e engarrafe com auxílio do funil, pingue gotas de limão (opcional), tampe muito bem e guarde na geladeira para beber aos poucos (dura até um mês quando refrigerado). 

Sem desperdício: os grãos germinados podem ser usados mais duas duas vezes, mas, para que a fermentação não perca a força, reduza a quantidade de água (1/2 litro na segunda produção e 1/4 na terceira). Depois disso, bata os grãos no suco ou na vitamina ou, ainda, acrescente-os na salada ou na massa da tapioca.