AYURVEDA

AYURVEDA: TEMPERO PARA A SUA SAÚDE

ESSA CIÊNCIA MILENAR MANTÉM O EQUILÍBRIO FÍSICO E MENTAL


Eliane Contreras | May 30, 2019

Há pouco tempo, a medicina ocidental não parecia  demonstrar interesse pelos  princípios da Ayurveda: “Sabedoria milenar da vida longa e saudável”, escreveu a nutricionista Laura Pires no livro Nutrindo Seus Sentidos - Receitas Ayurvédicas Para Encontrar o Equilíbrio (Editora Rocco). Mas, com o avanço da ciência e a descrição dos genes, os profissionais da saúde agora podem saber se um paciente apresenta sensibilidade a determinado alimento, não consegue reagir bem ao frio ou nasce com predisposição a certas doenças — perfil biológico que ayurveda já traçava de maneira empírica há mais de 5 mil anos. E isso tem encurtado o trabalho dos pesquisadores atuais: em vez de partirem do zero, eles estudam as ervas e especiarias (a cúrcuma é uma delas) aplicadas na medicina milenar indiana como antídotos contra os desequilíbrios do organismo. Daí a tendência de nutricionistas também adotarem algumas estratégias da alimentação ayurveda para melhorar o Agni (o fogo digestivo) e, com isso, manter a saúde em geral.

Mas ninguém precisa viver à base de chapati e outros pratos indianos para sentir os benefícios da ayurveda. Ao contrário: “Um dos princípios básicos dessa medicina é comer alimentos locais e da estação. Eles têm os nutrientes que o corpo precisa no momento, além de apresentarem mais sabor e um menor risco de um cultivo com excesso de agrotóxicos”, explica a nossa parceira healthy chef Carol Stoffella, especialista em nutrição holística e alimentação ayurveda.

Individualidade na escolha do cardápio e, principalmente, dos temperos é outra regra a ser seguida. Isso porque, segundo a ayurveda, cada um de nós tem seu próprio dosha (tipo de temperamento), capaz de influenciar até mesmo o modo como interagimos com o ambiente e as outras pessoas.

Seu metabolismo é lento, falta disposição física e fica gripado com facilidade no inverno? Então, provavelmente, você é kapha, o dosha regido pelos elementos terra + água. Os outros dois são pitta (fogo + água) e vata (ar + espaço). Quando um desses elementos está em carência ou excesso, a ayurveda recomenda estimular os elementos opostos para evitar desequilíbrios físicos e mentais. E a alimentação é a estratégia mais eficiente para isso, mesmo que você siga apenas o básico, como tomar um shot digestivo (à base de gengibre) ao acordar e preparar a comida com uma boa variedade de ervas e especiarias. Mas a quantidade desses temperos deve variar de acordo com cada estação do ano. No inverno, kapha precisa de uma dose maior de especiarias que ajudam a espantar o frio interno; pitta tem que consumir mais ervas que diminuem o calor durante o verão. 

“Meditação, yoga e aromaterapia também ajudam a reequilibrar o que sobra e o que falta em cada dosha”, diz Carol. Tratamentos mais intensos, geralmente com jejum, chá, e massagens devem ser realizados com acompanhamento médico especializado. Mas só de identificar o seu dosha (veja a seguir) e fazer pequenas adaptações no cardápio, especialmente na virada das estações (os doshas acompanham naturalmente as fases da natureza), você já percebe seu  organismo mais resistente a doenças e a digestão fácil. Não estranhe se a disposição e a textura da pele também melhorarem. 

PERFIL

KAPHA

Elementos: TERRA + ÁGUA

Características físicas: estrutura forte e larga, com propensão à obesidade.

Sinais de desequilíbrio: cansaço excessivo, digestão difícil, sobrepeso.

O que acrescentar no prato: verduras e legumes com muitas fibras.

O que evitar no prato: massa e alimentos muito salgados ou muito doces.

Sabores bem-vindos: ácido, doce (proveniente dos legumes) e levemente salgado. 

VATA

Elementos: AR + ESPAÇO

Características físicas: estrutura pequena, com poucos músculos, ágil e leve.

Sinais de desequilíbrio: perda de peso fácil, fraqueza, agitação, insônia, ansiedade, intestino preso.

O que acrescentar no prato: alimentos oleosos e pesados, como creme de abacate (abacate batido com leite de amêndoa e canela).

O que evitar no prato: verduras e legumes crus e preparações geladas.

Sabores bem-vindos: picante, amargo e adstringente.

PITTA

Elemento: FOGO + ÁGUA

Características físicas: estrutura alongada, com facilidade para ganhar músculo. Tem muita energia e pavio curto (pouca paciência).

Sinais de desequilíbrio: excesso de sede, gastrite e ardência na pele.

Não pode faltar no prato: frutas e folhas verdes.

O que evitar no prato: alimentos muito condimentados e apimentados, além de alho e cebola.

Sabores bem-vindos: amargo e doce.