BROTOS GERMINADOS

APRENDA COMO CULTIVAR BROTOS EM CASA

É fácil e acrescenta vários benefícios ao prato


Eliane Contreras | Feb 03, 2020

Consumir brotos e sementes germinados é um hábito que surgiu com o crudivorismo (ou alimentação raw, em que boa parte dos alimentos são consumidos crus ou preparados em uma temperatura nunca acima de 40 ºC). Por estarem no início do processo de crescimento, eles são considerados usinas de nutrientes. Concentram uma quantidade maior de enzimas ativas comparado à planta totalmente desenvolvida e, por isso, são capazes de eliminar as toxinas e os resíduos acumulados no organismo. Daí o sucesso dos brotos e semente germinadas nos cardápios detox. Mas são alimentos que merecem estar presentes todos os dias nas nossas refeições. Reforçam as nossas defesas e, com isso, aumentam a disposição física.

Existem outros bons motivos para serem usados também no recheio do sanduíche ou batidos no suco. São alimentos que apresentam uma dose maior de vitaminas com poder antioxidante, especialmente as A, B, C, D e E, e minerais, como cálcio e ferro, de acordo com informações do livro Alimentação Desintoxicante (editora Alaúde), escrito pela bioquímica Conceição Trucom. Eles ainda têm efeito alcalinizante, ou seja, amenizam a acidez no sangue, muitas vezes associado ao ganho de peso e até doenças mais graves, como câncer. 

A diferença entre broto e semente germinada

As propriedades nutricionais não mudam muito. Mas, geralmente, os brotos fazem mais sucesso por causa das folhinhas de verde intenso, o que revela uma alta dose de clorofila, e do sabor mais suave. Eles surgem até dez dias depois da germinação das sementes. Vegetarianos e veganos devem consumir principalmente os brotos de grão-de-bico, trigo, lentilha e feijão. Esses grãos e leguminosas têm uma boa quantidade de leucina, valina e isoleucina, aminoácidos que formam o BCAA, importante para a recuperação e o ganho de massa magra, especialmente depois de um treino de força (musculação), segundo um estudo do Departamento de Ciências e Tecnologia da Universidade de Campinas (Unicamp). E você pode cultivar em casa. 

Passo a passo para cultivar em casa 

Em alguns supermercados e hortifrútis, você encontra brotos de rúcula, beterraba, alfafa, trigo (grama) e feijão (moyashi) prontos para o consumo. Mas qualquer um deles pode ser cultivado em casa, em mini estufas, à venda na internet, ou em recipientes adaptados. A germinação das sementes e dos grãos é ainda mais fácil. Acompanhe o passo a passo.

1. Coloque de 2 a 3 colheres (sopa) de grãos (grão-de-bico, trigo), leguminosas (feijão, lentilha) ou sementes (girassol, gergelim, linhaça) em um vidro esterilizado de boca larga. Acrescente água filtrada até que fiquem todos submersos.

2. Deixe de molho por uma noite ou, no mínimo, por oito horas. Cubra o vidro com um pedaço de voal (tecido fino e furadinho) e prenda com um elástico. Escorra, enxágue em água corrente e escorra de novo.

3. Mantenha o vidro inclinado em um escorredor ou uma tigela para evitar que a água fique acumulada. Repita as lavagens em água corrente duas ou três vezes por dia e escorra. Dependendo do tipo de grão e do ambiente (condições de luz e temperatura), a germinação acontece entre dois e cinco dias.

4. Enxágue muito bem os grãos germinados em água corrente (é importante para eliminar os resíduos). Use no preparo saladas, sucos e até sopas.

Deixe a semente virar broto 

Use uma mini estufa (siga as orientações do fabricante) ou espalhe as sementes germinadas sobre uma camada de terra de 3 centímetros, numa bandeja ou vaso largo. Regue todos os dias com pouca água (não deixe a terra encharcada, apenas úmida) e espere de três a dez dias para consumir os brotos. Eles devem crescer de 5 a 10 centímetros. Coloque na salada, no suco, no sanduíche e em outras preparações que você achar que eles combinam.