Levantando a sua bandeira

DO VEGETARIANISMO AO PLANT-BASED: ENTENDA AS DIFERENÇAS

DE TENDÊNCIAS À ESCOLHAS POLÍTICAS


Renata Losso | Sep 12, 2019

Ainda há muita confusão sobre o que significa ser vegetariano – tanta que muitas vezes um vegetariano, ao afirmar sua escolha, pode acabar ouvindo a famigerada pergunta: "Mas nem peixe?". Não, nem peixe. Na verdade, a pessoa que opta por uma dieta vegetariana exclui também ovos, laticínios e até mel de sua geladeira, ao contrário do que muitos imaginam. Com isso, decidimos explicar as definições mais comuns relacionadas ao universo vegetariano e deixar tudo mais claro a quem ainda tem dúvidas. Confira.

 Ovolactovegetarianos

São aqueles que, embora não consumam nenhum tipo de carne – bovinos, suínos, de aves ou peixes –, ainda consomem ovos e laticínios.

Essa escolha costuma ser a porta de entrada para uma pessoa em transição ao vegetarianismo restrito, mas nem sempre é uma opção que leva à abstenção de todos os alimentos de origem animal. Além disso, vale ressaltar o atual conhecimento popular que denomina ovolactovegetarianos como vegetarianos e vegetarianos como veganos: muitas das pessoas que se dizem vegetarianas, afinal, não o são. Ainda.

Lactovegetarianos

Aqueles que, além das carnes, também excluem ovos da dieta. Leite e derivados, no entanto, permanecem presentes no dia a dia.

Também é uma vertente do vegetarianismo que pode levar à exclusão completa de ingredientes de origem animal, mas não necessariamente isso é levado a cabo. Além disso, é possível ver esse tipo de dieta ser seguida também por motivos religiosos, como acontece na Índia.

Protovegetarianos

Ovolactovegetarianos e lactovegetarianos que pretendam atingir o vegetarianismo no futuro podem ser considerados protovegetarianos: pessoas que estão a caminho da exclusão completa de qualquer produto de origem animal, mas que ainda incluem esses produtos em suas dietas.

Cabe ressaltar, portanto, que essa corrente não inclui pessoas ovolactovegetarianas convictas, por exemplo, já que se trata objetivamente de um primeiro passo rumo a uma escolha ética que exclui tanto o abate quanto a exploração animal.

Vegetarianos

Aqueles que se alimentam exclusivamente de produtos de origem vegetal como grãos, verduras, legumes e frutas.

Nesta dieta não entra nada de origem animal – nem mesmo mel, já que provém de abelhas. Atualmente essa definição é muitas vezes confundida com o veganismo, mas também pode ser considerada o primeiro passo rumo ao estilo de vida vegano.

Veganos

Além de excluírem todos os alimentos de origem animal de suas geladeiras e cardápios, veganos expandem a dieta vegetariana para todas as outras áreas de suas vidas.

É mais uma decisão política do que alimentar. Um vegano, por exemplo, não faz uso de produtos que usem animais para experimentação ou de roupas que contenham materiais como o couro, já que em ambos os casos algum animal é explorado. 

Plant-based

O foco aqui é se alimentar apenas do que a natureza pode nos oferecer, dos grãos às frutas, e evitar tanto carnes e quaisquer produtos de origem animal como alimentos refinados e altamente processados.

Pães e azeite de oliva, por exemplo, ficam de fora. Assim como lácteos. Valoriza-se apenas o que nasce na terra – de preferência orgânicos – e aposta-se que quanto mais inteiros esses alimentos estiverem, melhor.

CONHEÇA OUTROS MOVIMENTOS RELACIONADOS À ALIMENTAÇÃO

Flexitarianismo

Diminuição drástica do consumo de carne, sem abrir mão completamente.

O flexitarianismo é uma tendência mundial. Seja por preocupação com a saúde ou com o impacto causado pela cadeia da pecuária no planeta, os flexitarianos adotam uma alimentação vegetariana na maior parte do tempo, entretanto, às vezes consomem carne. Essa escolha representa um passo importante na conscientização da sociedade sobre a urgência ambiental de se reduzir o consumo de derivados animais.

Crudivorismo

Alimentação à base de alimentos crus.

Frutas, verduras e todos os alimentos in natura que pode-se alcançar e comer sem precisar realizar nenhum preparo são a base do crudivorismo. Os adeptos dessa forma de se alimentar argumentam que sem o aquecimento, todos os nutrientes dos alimentos são preservados.

Slow food

Um movimento que prega o prazer da alimentação a partir da forma como se lida com o alimento.

A filosofia slow food está ligada ao respeito ao alimento, ao planeta, às pessoas responsáveis pela produção e ao momento de se alimentar. Para os praticantes de slow food, comer deve ser um ato de prazer consciente e responsável, portanto, fazem das refeições momentos tranquilos e calmos, com foco na comida.

Tem algum comentário sobre o tema? Escreve pra gente: contato@vegmag.com.br